O Sabor da vida eterna


(4 Febbraio 2015, www.5p2p.it)

Dois dias em Treviso, à luz da história de Chiara Corbella Petrillo, para nós, jovem casal com uma mochila para preencher.

(17-18 janeiro, Treviso) – e nos tornamos viajantes … mochila no ombro, como uma vez … na estrada de Friburgo para Treviso, para ouvir o testemunho de Enrico Petrillo e Padre Vito sobre a experiência da vida eterna que eles viveram com Chiara Corbella Petrillo, esposa e mãe que aceitou a cruz.

 

História da vida verdadeira, da Verdade, que chama e atrai.

Dois dias de graça: a igreja cheia, as pessoas sentadas no chão um pouco em todos os lugares; no dia seguinte, uma multidão de pessoas dentro e fora do auditório onde Enrico e Padre Vito falaram, (a multidão) tão grande que a distribuição da Eucaristia necessitou de uma organização enorme! Chiara atrai muitas pessoas, porque ela falou da Verdade … e a Verdade atrai.

Mas não estamos aqui para contar a história da vida deles, que vocês podem descobrir lendo o livro maravilhoso: “Nascemos e jamais morreremos, História de Chiara Corbella Petrillo”.

Durante estes dois dias tomámos conhecimento daqueles pensamentos luminosos e reflexos profundos, significativos para a nossa história de jovem casal … e por isso queremos doar voçes alguns, com a esperança de que, como foi para nós, podem vos colocar em discussão e vos ajudar a ir en frente. Aqui estão eles, como o nosso coração foi capaz de percebe-los e a nossa caneta de expressá-los.

 

Aprender a perder

 

O tempo do namoro, é tempo de preparação na história que Deus pensou para nós e esconde os traços Dele. Durante o noivado o Senhor prepara você para o casamento, e pede sua ajuda! Neste tempo de discernimento Chiara aprendeu a perder … a renunciar a Enrico e em confiar em Deus. Isso será muito importante para se despedir de seus filhos acompanhando-os até o céu. O oposto de amar é possuir

 

Deixar que os planos mudem

 

Nós fechamos muitas vezes o projeto de Deus na pequenez dos nossos projetos e nós queremos que tudo seja submetido à nossa inteligência, tão soberba. Para acomodar o plano que Deus tem para você, você tem que te deixar dobrar. Enrico imaginava de envelhecer perto de Chiara, mas nunca ele percebeu que na sua história o Senhor o tinha traído. “Eu vi Chiara morrer feliz. Você acha pouco!?! “Graças à dor, ele descobriu a pérola preciosa.

 

Entrar na lógica de Deus

 

Consideramos Deus um “distribuidor de chocolates.” Isto é o que nós acreditamos: se a gente se comportar bem, Deus responde aos nossos desejos. Chiara e Enrico percebem como muitas vezes não buscamos em Deus a cura da alma, mas apenas a do corpo. Pedimos a Deus uma vida feliz e simples, que não tenha nenhuma semelhança ao caminho da cruz que Jesus nos deixou! Deus não segue a nossa lógica.

 

Permanecer no Seu amor

 

“A cruz é doce”, diz Chiara, porque na cruz junto com ela tem Jesus… As cruzes não doces são aquelas que a gente constroi sozinha, disse Enrico.

 

En fim vos convidamos a ler a carta que Chiara escreveu a seu filho Francesco, que, como descreveu Enrico, contém tudo o que você precisa para preencher a mochila e se preparar para uma longa viagem … Vocês podem encontrá-la no final do livro.

Enriquecidos destas novas experiências, continuamos a viagem de volta pra casa, com o desejo de descobrir o que o Senhor tem planejado para nós e de compreender os Seus sinais na nossa história; com a necessidade urgente de confiar nele; e a necessidade de deixar as nossas pobres pretenções e falsas certezas.

Voltamos à vida cotidiana. A mochila é mais leve, mesmo sendo mais carregada: cheia da história desta família que aprendeu através da Cruz a se amar pela vida toda … ou como disse Enrico … APENAS pela vida toda.

 

Terry e Simone